Fernanda Montenegro se emociona no SP1
Fernanda Montenegro se emociona no SP1 (Reprodução)

Neste sábado (11), a atriz Fernanda Montenegro foi a entrevistada do SP1, jornal local da Globo em São Paulo. Na cidade para o lançamento de sua fotobiografia, a veterana falou de sua carreira iniciada no rádio aos 15 anos de idade. E relatou que na época não acreditava-se que o veículo iria adiante. Com isso, ela viu necessidade de fazer parte do rádio como forma de se preparar para as mídias que viriam a seguir.

“Eu fui para a rádio porque era a coisa que entrava na nossa casa. Na época era uma rádio do ministério da educação e cultura. Com 15 anos eu vi que tinha uma chamada para a organização de uma juventude de radialistas preparados culturalmente. A cada momento a gente pensa que a tecnologia não vai adiante. Era década de 40, e o rádio era uma coisa que diziam que ficaria para trás. Então eu teria que me preparar o que viria”.

Leia também: Eliana relembra ajuda de primogênito em sua segunda gravidez

Fernanda Montenegro fala de sua disposição para atuar aos 88 anos

Questionada sobre a disposição para encarar os palcos e câmeras aos 88 anos, ela conta que herdou o entusiasmo de seu pai, um operário. “Eu aprendi isso em casa. Meu pai era um oficiante. Um artesão, um artista espontâneo. Tinha o respeito ao conseguir terminar a coisa mais simples do mundo, se você se propuser a fazer”, explicou a atriz. Ela ainda se emocionou ao ouvir a reprodução narrada de uma carta escrita pelo ator Paulo Autran.

“Me comove muito porque com a morte do Paulo a nossa geração parou. A nossa modalidade de vida em teatro, a nossa cultura teatral, nossa forma de sobrevivência pararam. Essa coisa do ator se auto empresando, vem desde João Caetano. São quase 200 anos de se levar uma modalidade no Brasil em que um ator ou atriz que ia lá, pegava seu dinheiro, colocava num banco [para financiar uma peça]. E quando precisava fazer outro espetáculo, se endividada de novo pelo ofício”, disse ela com os olhos marejados.