Kayky Brito vive Candé em Verão 90 (Divulgação: TV Globo)
Kayky Brito vive Candé em Verão 90 (Divulgação: TV Globo)

O ator Kayky Brito está prestes a retornar às novelas da Rede Globo. Ele será Candé em Verão 90, próxima novela as 19 horas, substituta de O Tempo Não Para. O personagem é um playboy, sócio da PopTV, primeira emissora de videoclipes do Brasil. Em entrevista ao Observatório da Televisão, Kayky fala sobre o personagem, a trama, e relembra como foram seu anos 90. Confira:

Veja também: Verão 90: Janaína terá toda a sua economia ‘retida’ pelo governo

Você vai trazer seu lado surfista pro personagem?

Aqui ele é um surfista, mas ele é mais um empresário. Trago sim este lado surfista, o jeito de andar e falar. Mas o que eu fiquei feliz é que ele é um empresário. Ele tem a primeira emissora de videoclipe do Brasil. Eles gerencia mais essa parte e também mostra mais o lado ruim dele, que é meio ríspido, sem paciência, é bem o playboy dos anos 90. Mas vai ter uma reviravolta.

Como você avalia este trabalho na sua carreira?

Estou muito feliz, com vontade de estudar e de realizar cada vez mais. É óbvio que na primeiras cenas a gente quer fazer tudo, chorar, rir, fazer os gestos. Mas é indo com calma, indo devagar com o que você criou e ver o que você quer para o personagem. Então estamos indo por este caminho, estamos no começo de criação.

“Anos 90 só saudades”

Você estava há quanto tempo longe da TV?

A minha última novela foi O Rico e Lázaro, na RecordTV, uma novela da babilônia e persas, uma coisa totalmente diferente do que eu estou fazendo aqui agora. Minha última novela na Globo foi Alto Astral, do Jorginho (diretor) também. É a primeira vez que vou trabalhar com a Izabel de Oliveira e Paula Amaral. Elas escrevem muito bem e nos dão liberdade de criar, tem certos textos que não dá pra mudar muita coisa. Mas o delas você pode colocar uns caquinhos, que não vai mudar muita coisa, estou à vontade.

Nos anos 90 você estava em Chiquititas, como foi essa época e quais as suas lembranças?

Foi uma época que a gente se mudou pra argentina, minha irmã também fez, ela foi 1 ano antes, eu fiquei 1 ano lá, e ela 2 anos. A gente morava num prédio com um monte de brasileiros. Eu fiz a sexta série lá, anos 90 só saudades.

Qual música ou cantor te remete os anos 90?

Eu curtia Fagner, Lulu Santos; são foda essas pessoas. Esses me remetem coisas boas dos anos 90.

Você é saudosista?

Sim, sou saudosista por natureza. Dizem que o tempo hoje em dia é uma ilusão, que o passado não existe. Então eu acho que as redes sociais estão ai para provar que o passado existe, todo mundo revive seu passado, é só entrar nas redes sociais que está tudo lá registrado. A mídia social é o passado.

“Gosto de mergulhar no universo do personagem”

Você nasceu em que ano?

Nasci em 1988. Eu era bem pequeno na década de 90. Em 94 eu lembro da Copa do Mundo. Em 98 lembro de outra Copa e em 2000 entrando na Globo. Eu tive os anos 90 praticamente em São Paulo, em 99 foi Chiquititas e nos anos 2000 eu mudo pro Rio de Janeiro.

Seu personagem tem algo em comum com você?

Não importa o quanto flui, eu acho que qualquer personagem vai ter algo de você ali. É difícil você tentar sair 100% do personagem. Mas eu não sou uma pessoa ríspida nas respostas, não sou um playboy da Zona Sul, mas eu gosto de mergulhar nisso tudo.

***Entrevista feita pelo jornalista André Romano