Globo lança A Lei do Amor Fala do amor em todas as suas formas; veja fotos4
Thiago Lacerda

Em entrevista, Thiago Lacerda fala de seu personagem em A Lei do Amor, nova novela das nove da TV Globo.

O ator começa a aparecer no folhetim nesta sexta-feira (07), quando se inicia a segunda fase da trama, como o personagem Ciro, até aqui vivido por Maurício Destri.

Confira o papo:

Vilão

“Eu não sei se o Ciro seja propriamente um vilão. Eu estou tentando me distanciar um pouco dessa ideia do vilão. Ele é muito mais uma vitima de si mesmo. Claro que ele não é flor que se cheire. É um cara que tem uma ambição bastante desmedida. É o tipo de cara que perde a noção dos limites do código de convivência social. Compreende? Esses caras acabam virando vilões. A grosso modo dizendo. O que é interessante pra mim, é imaginar que o Ciro é um cara legal. É um menino talentoso, garoto inteligente. Que em algum momento fez escolhas que o levaram para um lugar, que ele não consegue voltar atrás. Isso é muito mais interessante do que um cara escroto, um cara mau e tudo mais. Eu acho que esses arquétipos ficam muito superficiais se tratando desse contexto. A ideia é fazer dele um sujeito bom, que é vitima de si mesmo. Vitima de suas escolhas e de suas desmedidas em função dessa ambição. Saber que ele é muito melhor do que aquele lugar que colocam ele. Saber que ele merece muito mais. Em nome disso, acaba fazendo escolhas difíceis. Pra mim, isso é mais interessante do que trata-lo como um vilão.”

Dividir personagem com Maurício Destri

“O Maurício (Destri) é um ator maravilhoso. É um ator muito interessante. Eu conheço o Maurício já há um tempo. A gente atuou juntos na novela Cordel Encantado (2011). De lá pra cá, eu vinha observando muito ele. Esse trabalho em questão é impressionante o amadurecimento dele como ator. Eu vi algumas coisas, o que ele fez como o Ciro na primeira fase. A gente conversou muito antes de começar a gravar. Ele apontou e focou bastante da natureza do Ciro. Enfim, foi pegar esse fio de meada que ele deixa para construir o personagem. Vou tentar levar isso pra diante. É muito curioso dividir um personagem com alguém. Eu tive a sorte de pegar o personagem depois dele e de ser ele, né? Ele é um ator que pavimentou um caminho muito interessante do Ciro. O Ciro é um personagem muito intrigante. Um cara que você não sabe bem o que vem dali. Ele é muito misterioso, muito econômico. O Ciro é bem perigoso. Maurício e eu conversamos bastante em relação ao personagem. Foi tudo muito bem estudado. Tivemos uma longa preparação.”

Par romântico com Camila Morgado

“Já trabalhamos em A Casa das Sete Mulheres. É curioso repetir par romântico. Mas eu acho a Camila uma atriz deslumbrante. Uma atriz muito singular. Ela é uma grande colega. Divertidíssima! Gravar com a Camila é um barato. É um prazer enorme voltar atuar com ela. Por afinidade, por admiração. Enfim.”

Thiago do inicio de carreira

“Cara, me dá uma vergonha. Essa molecada dessa nova geração é incrível. Eu acho o Chay Suede incrível. O Maurício Destri também. É uma molecada incrível. A gente está muito bem de talento jovem.”

Preconceito por ser belo

“Somos brasileiros. Vivemos em um país de terceiro mundo, capitalista, que tem uma cultura muito especifica e que sofre com um nível de educação constrangedor. A nossa história é preconceituosa. A gente vive em um país preconceituoso, homofóbico, machista. A gente sabe disso. Não dá para negar isso. Negar é um desserviço. Vai contra a própria luta contra o preconceito. Achar que isso não existe é tolo. Uma maneira de lidar com o preconceito é passar por cima dele. Eu nunca me preocupei se as pessoas me acham bonito ou feio. Bom ator ou mau ator. Eu sempre me preocupei em entrar em cena e fazer o meu oficio da melhor maneira possível. Eu sinto nessa nova geração que eles estão ca***do para o que as pessoas pensam. Eles querem contar as histórias deles. Fazer o trabalho deles. Enfim, eu acho que isso é um belo caminho.”

Grazi no inicio de carreira

“Ela sofreu muito preconceito no inicio. Eu acompanhei muito de perto o sofrimento da menina. Sabe? Querendo vencer, querendo o lugarzinho dela, batalhando. O carisma dela é avassalador. Trabalhou muito, ralou muito. Ela está no caminho muito interessante como atriz. O carisma ninguém ensina em academia. Ou você tem, ou não tem.”

Personagem atual

“Ciro pode ser essa figura que representa um pouco dessa crise moral e ética que a gente vive hoje em dia. Ele é um personagem bastante imoral.”

Torcida para o personagem

“Não sei se o Ciro terá uma torcida. Mas é possível se identificar com ele, sim. Ele está entre nós. É um personagem real, personagem que a gente conhece. Acho que não vão querer comprar o barulho dele não. Ele é bem errado. Não me inspirei em ninguém real, não. Busquei referências ficcionais. Inspirei-me bastante na série House of Cards. Ali tem pessoas interessantíssimas.”

André RomanoENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO